segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Expressas (5)

Hoje o Expressas vem com muitas novidades. Na última quinta-feira(23-08) participei de uma reunião e visita ao CCO da SuperVia. Nela discutimos sobre possíveis melhorias, sugestões e a SuperVia anunciou algumas novidades interessantes. Vamos a elas:

Foto: Bruno Rodrigues

Mão Dupla: A Supervia informou que a reta de Honório deverá ser (novamente) duplicada em breve, mas que ainda falta ser apresentado o projeto e o cronograma das obras. Uma boa notícia, já que pode abrir espaço e margem para a criação de novos serviços, tal como uma "sanfona" ligando Honório Gurgel(do ramal Belford Roxo) e Deodoro.


ERTMS em testes! Conforme eu já imaginava, a Supervia confirmou que já há testes sendo realizados com o ERTMS na linha zero de Marechal Hermes. Os testes em todo o ramal Deodoro estão previstos para a segunda metade de setembro ou início de outubro. Haverão interrupções no serviço de passageiros aos domingos para o novo sistema ser testado ao máximo nas composições. No entanto, eles deram a garantia de que não haverão problemas nas mesma composições usadas pelo teste no decorrer da semana. Veremos.


Renovação: A SuperVia em breve se mostrará de fato uma empresa em processo de reformulação, como está ocorrendo depois que a Odebrecht Transport assumiu a maior fatia do controle acionário da empresa. Para seguir "a filosofia empresarial da Odebrecht", foi relatado que a partir de outubro a Supervia virá com uma grande renovação visual. Placas informativas, padrão de cores, atendimento ao cliente e até logomarca e a "Rádio Supervia" serão reformuladas para que a empresa demonstre a renovação que vem ocorrendo nos últimos meses aos usuários, até então passando despercebida, e dar uma idéia de "Nova Supervia".



Nova Central: A Supervia já dá como quase certa a reforma da estação da Central do Brasil, que inclui restauração do prédio original e construção de um "shopping" acima das plataformas. Só resta liberação do INEPAC/IPHAN para o início das maiores intervenções. Cabe lembrar: plataformas 1 e 13 já estão passando por obras. 


Incerteza: O processo de reforma dos trens deve ser paralisado. A Supervia afirmou algo semelhante ao MetrôRio no que diz respeito a reforma e colocação de trens com ar-condicionado, e deve perguntar ao Governo do Estado o que fazer: seguir com o processo de reformas ou adquirir novas composições em substituição. 


Reforma das Estações: A Supervia indagou acerca da reforma das estações e construção das estações Luz(ramal Japeri) e Corte Oito(ramal Saracuruna). A novidade fica por conta da reforma total de Nilópolis, que deverá ganhar uma nova cara. Sobre uma certa falta de padrão arquitetônico das estações, ela questionou que preferia realizar e executar o projeto de reforma ao invés de aceitar os projetos elaborados pelo Governo do Estado. Apesar dessa questão, eles ressaltaram que o relacionamento com o GERJ está sendo ótimo, o que facilita na hora de pedir investimentos ao Governo, que nada mais faz o seu dever. 


Outras da semana - Chineses e mais chineses: Segundo relatos, além dos chineses aos poucos já servirem no horário de rush da tarde para Campo Grande e Bangu, uma unidade vem sendo testada na formação de 8 carros, finalmente. Trens chineses envolvidos em polêmicas na imprensa relacionadas a uma suposta "corrosão" precoce das unidades, quando na verdade eram os reflexos das intempéries e do transporte sem a devida proteção(lona de cobertura)em alto mar. Ou seja, o contato direto com a água salinizada do mar fez com que aparecessem pontos de oxidação superficiais, necessitando somente de limpeza com materiais químicos para remoção desses pontos.  Tanto é que o fato não se apresentou nas unidades que vieram após o 3°lote, as que passaram a vir embaladas. Quem fez a denúncia foi a T'Trans, que alega não ter recebido pelo serviço. Convenha-se: ela não deveria ter recebido pelo que vem fazendo nos 700...

7 comentários:

Cristiano Reis disse...

Comentando a respeito das interrupções no serviço, neste domingo houve paralisação em quatro estações. O problema é que esse tipo de ocorrência carece de maior divulgação aos usuários. Ao descer na estação S. Cristóvão vindo do ramal de Saracuruna, fiz a integração para o ramal Deodoro. Depois de 15 minutos esperando, o trem de serviço parou na linha 1a e os usuários ficaram revoltados, pois ali já estavam há bastante tempo bem antes da minha chegada. Somente após 30 minutos de espera, o serviço de áudio começou a anunciar as interrupções. Este é um dos pontos que a SuperVia precisa melhorar muito. Creio que um painel de informações semelhante ao painel interno dos trens chineses que anunciam as estações na saída de cada plataforma minimizaria esse problema já que o serviço de áudio das estações varia muito em qualidade.
Parabéns pelo trabalho companheiro! Acesso diariamente o blog em busca de novidades.

André Vasconcellos disse...

Com certeza, painéis informativos acerca do status do sistema são bem vindos, mas tem que se admitir que muitas estações não tem uma infra-estrutura adequada para abrigar televisores de LCD ou painéis digitais. Quando digo infra-estrutura, é uma cobertura de plataforma decente, você que conhece São Cristóvão sabe que as "coberturas" são deficitárias, assim como a necessidade de reconstrução total desta estação. Nessa visita, também percebi a necessidade de se aumentar o efetivo de senhoras que fazem o anúncio nas estações.

Leonardo Ivo disse...

André, e Quanto ao ramal de Itaguaí. Você perguntou?ABS!

André Vasconcellos disse...

Eu particularmente não, mas um dos colegas que foram conosco a reunião deixaram uma série de perguntas por escrito, que deverão ser respondidas a nós por e-mail. Se não estiver errado, deve haver perguntas com relação ao ramal Itaguaí.

Cristiano Reis disse...

Sim! É preciso reformas em quase todas as estações para esse tipo de equipamento. Até mesmo na Central, o sistema de anuncio com os LCD não funciona corretamente. Neste mesmo domingo passado fui me orientar por ele e o sistema estava fora do ar.

Victor disse...

Preocupante a indefinição a respeito da reforma de trens, o atual programa de expansão da frota já é ruim, pois ao final só haverá metade dos trens necessários para atender a demanda real.
A questão de corrosão dos trens chineses é problema sim, a existência de corrosão em contato direto coma água do mar só acelera o proceso de corrosão natural na atmosfera litorânea, ou seja os trens inox chineses estão enferrujando.
Mesmo que não apareçam pontos de corrosão externos imediatamente, ao longo do tempo ela vai aparecer demandando manutenção principalmente do sistema elétrico.

André Vasconcellos disse...

Sobre os chineses: O problema só foi/deve ser detectado nas unidades do 1°lote, 2°lote e, se não estiver errado, o 3°lote, ou seja, 3001 a 3008. Todas estas unidades vieram desprotegidas, ou seja, sem proteção plástica durante a viagem de navio. A partir destes, todos começaram a vir embalados. Claro, há a corrosão natural,mas no caso destas 8 unidades elas podem se apresentar em processo mais acelerado por já terem sofrido corrosão. Vamos ver se o "banho químico" dado para resolver o problema vai retardar o processo.